JavaScript is required to use Bungie.net

Comunidade em Foco – Jaywalking Games

Não repare em mim voltando para a Comunidade em Foco depois das semanas loucas que antecederam os Destaques de Destiny 2 no mês passado. E nada melhor do que retomar com esta pessoa incrível! Nosso mais novo Comunidade em Foco é sobre um Guardião que aprendeu a transformar tudo o que a vida lhe oferece em uma forma de ajudar aqueles que o rodeiam, enquanto também aprende a navegar no mundo com um coração bondoso e uma mente empática. Conheça Jaywalking Games, defensor da acessibilidade, campeão para os neurodivergentes como ele e, no geral, um cara incrível (apesar de jogar principalmente como Caçador).  

Que tal saber mais sobre nosso mais novo Comunidade em Foco? Vamos ao assunto! 

Como estão as coisas, Jay? Obrigada por conversar conosco! Antes de começarmos, pode contar ao pessoal um pouco sobre você e sobre como começou sua jornada na comunidade de Destiny. 

Jay: Oi, Liana, Mestre das Piadas de Tiozão! Eu sou Jason, mas todo mundo me chama de Jay! Fisicamente, me sinto dolorido e cansado, mas meu coração é só gratidão por estar conversando com você e com toda a comunidade de Destiny! Também estou feliz porque acabei de jogar A Queda do Rei pela primeira vez desde o primeiro Destiny, graças à bondade dos meus amigos, então essa sexta está ótima!  

Eu jogo Destiny desde a primeira versão beta de anos atrás. Lembro de quando recebi um conjunto de códigos de download pela primeira vez do meu empregador quando trabalhava para a GameStop em… 2013? Comecei na comunidade em 2019 fazendo vídeos no YouTube sobre como jogar Anoitecer "O Covil Oco" (e agora nós podemos criar Ambição do Desdobrador de Mentes, como assim?!). A partir daí, fui testando o tipo de conteúdo que queria produzir. Tem sido uma jornada divertida!   

E há outra coisinha da qual me orgulho muito: Eu, er, também criei um meme bobinho envolvendo O Topo da Montanha e Adorado que acabou aparecendo na Forbes. 😬 Isso, sim, é deixar uma marca, né? 

Forbes, hein? Parece um original da Tassi Grassi. Adoramos! Você disse que começou com o beta. O que te atraiu tanto em Destiny (e de forma tão imediata)? 

Para mim, com certeza foram a jogabilidade e as amizades que eu fiz. Eu jogo desde os tempos do Atari, e esse interesse em comum me fez conhecer pessoas incríveis, como meu irmão de outra mãe, o Icepick Gaming. Eu conheço esse cara há mais de 32 anos, e nós jogamos juntos desde que éramos criancinhas. Nós dois baixamos o beta de Destiny 1. É até um pouco engraçado, porque meio que esperávamos não gostar de Destiny por causa do temido acúmulo de jogos nunca jogados, mas… estávamos bem enganados. Adoramos as atividades, a história, o conteúdo de fim de jogo, os eventos sazonais. Adoramos tudo. 

Por meio da busca por grupos (LFG), conhecemos outros amigos quando formamos equipes para coisas como Anoiteceres, e o resto, como dizem, é história! Eu, Icepick e outro amigo que conhecemos no jogo, Fantassi, logo nos tornamos melhores amigos e até começamos um pequeno grupo chamado Sweeper Stimulant, porque o Robô de Limpeza (Sweeper Bot) é claramente o melhor.  

A partir do momento em que ouvi: "Guardião? Guardião?! Preste atenção, Guardião", fui fisgado! Contar histórias é estabelecer um sentimento desde o início, e Destiny fez isso de forma excepcional antes mesmo de eu entrar no Cosmódromo e escolher minha primeira arma.  

Como artista e músico, eu estaria sendo negligente se não mencionasse as coisas que compõem o mundo de Destiny que mexeram comigo tão profundamente por tantas vezes e em tantos momentos: o visual e a música. Não conheço nenhum jogo, em todos os tempos, cuja beleza mexeu comigo mais do que Destiny. 

Nós com certeza entendemos o sentimento. E uma trilha sonora robusta pode transformar qualquer dia e remeter você a uma experiência querida. Bater ou correr, isso sim é um som! 

Então, meu colega defensor da acessibilidade, conte-nos um pouco sobre sua história e como isso afetou sua jornada de criação de conteúdo.  

Lembro de aprender a língua americana de sinais (ASL) na primeira série para poder me apresentar em um coral para crianças surdas. Eu amei tanto aquele momento, e isso de fato me inspirou a continuar. Eu sabia que queria fazer algo que me permitisse usar o artista criativo dentro de mim para ajudar a sociedade marginalizada, então foi exatamente o que fiz.  

À medida que fui crescendo, descobri aspectos de mim mesmo que me impulsionaram ainda mais para esse caminho. Desde inúmeras cirurgias decorrentes de vários problemas físicos até provações neurológicas como transtorno depressivo maior, ansiedade, estresse pós-traumático seguido de casamento abusivo e até uma tentativa de suicídio. Isso tudo moldou quem eu sou hoje e como eu aprendi a evoluir. Nem sempre foi fácil, e só deus sabe que eu cometi erros que gostaria de apagar, mas estou aprendendo, e é tudo o que posso fazer. Tentar ser a melhor versão de mim mesmo.  

Minha história, que não tenho como contar toda aqui, passa por muitos tópicos relacionados à acessibilidade. Sinto também que estou em uma posição privilegiada, já que minhas deficiências foram aparecendo gradualmente ao longo de muitos anos até que pioraram bastante em 2007, quando eu tinha 23 anos.  Foi muito difícil entender todas as mudanças pelas quais eu estava passando e receber a ajuda médica de que precisava. Houve alguns anos extremamente sombrios para mim que afetaram drasticamente minha saúde mental. Mas eu tinha pessoas boas ao meu redor, que estavam comigo quando eu mais precisava, e, por causa delas, ainda estou aqui lutando. Isso acabou me fazendo desempenhar esse papel na comunidade de Destiny: lutar por quem ainda não sabe lutar só, oferecer apoio, recursos e amizade. Tornar o mundo um lugar melhor e, em troca, ser inspirado pela comunidade e aprender com ela.  

Meu início na criação de conteúdo não foi dos mais fáceis. Eu estava lidando com muita coisa, e me arrependo da primeira impressão que dei a tantas pessoas na minha vida, mas foi isso que me fez continuar tentando melhorar. Ser a pessoa que eu queria ser, não a que minha doença mental me dizia que eu era. Sei que estou compartilhando demais, mas acho que é importante.  

Olhando para a sua jornada e para onde você quer ir, acha que há algum equívoco sobre acessibilidade em jogos?  

Essa é difícil, e eu acho que isso diz muito sobre o problema. A própria estrutura dos jogos e da sociedade não é acessível, e eu nem percebia isso até precisar. Mesmo assim, ainda tenho muito a aprender! Recentemente, conheci a Haben Girma no Twitter. Ela é conhecida como a mulher surda e cega que se formou em direito em Harvard. Ela também é advogada e defensora dos direitos de pessoas com deficiência, e é incrivelmente gentil, simpática e generosa com seu tempo. Quando contei a ela o que fazia e conversei sobre Destiny, ela revelou que não tem como jogar devido à natureza de suas deficiências. Ainda assim, admira e se deleita com a alegria que jogos proporcionam aos seus amigos. Então me dei conta da ideia capacitista que eu vinha nutrindo, apesar de ter deficiência há sete anos.  

A jornada dela me inspirou a me educar constantemente sobre problemas que vão além de mim, ao mesmo tempo em que aprendo mais sobre minha própria mente e corpo. Também me deu confiança para lutar contra comentários do tipo "é só não jogar", "jogue outra coisa" e "pare de fingir", que sempre parecem rondar qualquer tipo de conversa sobre acessibilidade.  

Tratando-se da indústria: contrate-nos! Na verdade, pessoas com deficiência, além de serem seres humanos com tanta habilidade, motivação, inteligência e talentos quanto qualquer outra pessoa, geralmente são o tipo de pessoas que se quer contratar. Normalmente somos criativos, adaptáveis, persistentes e determinados. Temos que ser. Lutamos batalhas o tempo inteiro que ninguém vê, e isso nos torna poderosos. Nos torna resilientes e corajosos. 

É isso aí! A educação é muito importante, e este não é um daqueles temas sobre o qual você pode aprender com fontes sem instrução. Obrigada por tocar no assunto!  

Tudo bem, mas vamos falar um pouco de nerdice. Acabamos de compartilhar nossos Destaques, que mostram o que vem por aí e a nova subclasse com o filamento. Precisamos perguntar: qual foi sua parte favorita do que mostramos? O que te deixou mais empolgado?  

Hum, bom, eu não diria que fiquei chocado, mas talvez… abalado. Hã? Hã? Mas, respondendo à pergunta, depois da Bruxa-Rainha e da Temporada dos Atormentados, eu estava esperando um festival de horror visceral, não Thor: Ragnarök encontra Homem-Aranha 2099. Tipo, o que é isso?! Toda a estética me atrai. Eu sou cria dos anos 80, afinal de contas. Simplesmente parece divertido! Com todas as mudanças da subclasse 3.0 e o filamento a caminho, meio que parece mágica, e isso me deixa muito mais ansioso para os dias de reinício. Só quero mergulhar nele e explorar tudo!  

E o filamento?! Como? Quem inventou isso? Eu fui pego totalmente de surpresa! Quando vi a cor verde, pensei imediatamente: "Ah, vai ter corrupção. Tudo bem, vamos lá!" Isso logo mudou com a continuação do trailer. Mandou bem, Bungie. Mandou bem. Eu achava que sabia o que estava por vir, mas não fazia ideia, e isso me deixa empolgado para os movimentos futuros de Destiny.  

Ah, vocês não têm nem noção. Serão alguns anos de loucura, com certeza! O próximo tem duas partes. Está pronto? Você joga principalmente com qual classe (vamos lá, Titãs!) e qual é sua proposta dos sonhos para Destiny como jogo?  

Sem pressão! Bom, para começar, acho que você vai gostar do fim dessa história, apesar de começar com um não Titã. Meu mergulho em Destiny começou com uma Caçadora Desperta. Ela era minha personagem original, com olhos amarelos, cabelo azul escuro de lado e coração dançante. Era simplesmente incrível. O problema é que eu acho que meu coração era Titã, já que eu fazia movimentos que não deveria, e isso quebrou muito da conexão que eu tinha com ela como minha Guardiã. Quando eu finalmente experimentei um Titã, minha abordagem de combate "bata primeiro, pergunte depois" fez muito mais sentido, então eu criei meu primeiro Exo benfeitor como Defensor e não olhei mais para trás.  

Eu tive um breve período no primeiro Destiny em que participava de muitas incursões como Arcana com Filho do Fogo. Ela era humana e muito legal. Agora eu normalmente alterno entre uma ou duas classes, dependendo do tempo. Acho que dá para dizer que eu tenho a delicadeza de um Caçador, o coração de um Titã e a mente de um Arcano. Ou só um Guardião que usa muito os punhos. Tanto faz.  

Agradeço muito por você ter conversado conosco, Jay. Foi um prazer! Antes de nos despedirmos, quer dizer suas últimas palavras? Gostaria de agradecer a alguém?  

De nada, e muito obrigado por essa oportunidade fantástica. Eu fiz muito trabalho duro nos bastidores para chegar ao Foco, mas não teria conseguido sem todos que me apoiaram pelo caminho e sem nossa comunidade. Vocês são os verdadeiros heróis. Quanto aos agradecimentos… 

Eu tenho alguns. Vem comigo:  

Sweeper Simulant – O melhor esquadrão internacional (foi mal, Aztecross): 

Icepick Gaming: O cara que é um irmão para mim desde que eu tinha sete anos, o Sr. Icepick Gaming. Eu não estaria conversando com nenhum de vocês hoje se não fosse por ele. Ele ficou comigo nos bons e maus momentos e, quando eu estava no fundo do poço e não conseguia ver meu próprio valor, ele me incentivou a criar conteúdo e me apoiar na minha personalidade e em quem eu sou. 

Fantassi: Meu outro irmão de outra mãe. Um homem que admiro (não só porque é mais alto que eu, o que é raro), porque tem sido uma honra e uma alegria vê-lo se tornar marido e pai. Ele é ótimo nos dois papéis, e me deu alguns conselhos muito bons ao longo dos anos, bem como uma generosa medida de graça. 

Sarah, também conhecida como TheVertigoVixen e seu alegre bando de Guardiões V4V: Eles me ajudaram a superar a ansiedade e os flashbacks do estresse pós-traumático para que eu pudesse reaprender a me divertir nas incursões. Guias de jogo fantásticos e pessoas ainda mais fantásticas. Embora estejam na vanguarda da acessibilidade, hoje é só mais uma noite normal para eles. 

JaumPM: Nos dois anos desde que entrei na transmissão Jaum's Trials, ele se tornou um amigo confiável, um professor fenomenal, sempre paciente, sempre gentil, mesmo quando está exausto e zangado. Ano passado, quando eu tive COVID, ele sempre vinha nas DMs ver como eu estava. Na semana passada, ele e sua equipe me levaram para A Queda do Rei pela primeira vez desde o Destiny original. Foi uma experiência emocionante, porque minhas condições pioraram muito. Ainda assim, Jaum pareceu entender isso intuitivamente e ajustou seu estilo de orientação de acordo.   

DirtyHotte: Quando descobri a transmissão do Hotte há alguns anos, nos demos bem depois que percebi que nosso estilo de jogo era parecido.  Continuei voltando às transmissões para descobrir de que outras formas nossas experiências se cruzavam. Logo ficamos amigos, colaborando com o conteúdo, e eventualmente ele me pediu para moderar seu canal da Twitch! Eu o vi crescer profissional e pessoalmente, mas, mais importante, agradeço por nossa amizade, camaradagem e todas as risadas.   

Professor Quin: Por sua bondade, incentivo e publicações diárias de meditação. Você me procurou quando comentei sobre um dia ruim no GuardiansMH, e posso afirmar que isso impactou minha vida de forma positiva. Obrigado, professor. 

Há tantos outros. Só quero agradecer a todos que tornaram minha vida melhor, mesmo que das formas mais sutis. Vocês sabem quem são, e eu espero que saibam que seu impacto foi imenso e que vocês enriqueceram minha vida de formas que eu nunca vou conseguir expressar totalmente. Obrigado. De verdade.   

Só mais uma coisa antes de eu ir embora: dedico essa oportunidade às minhas meninas, sempre e para sempre. 💙 

Sobre onde as pessoas podem me encontrar, eu sou o JaywalkingGames no Twitter, Twitch, Instagram e TikTok!  



E nós ficamos por aqui com o nosso Comunidade em Foco mais recente com o maravilhoso Jaywalking Games. Se tiver interesse em mais discussões sobre acessibilidade, fique à vontade para procurar outros criadores de conteúdo incríveis que estão abrindo as portas para essa questão, como Grant Stoner, MitchySlaps e Steve Saylor. Se quiser simplesmente conferir nosso Comunidade em Foco mais recente, saiba mais sobre OLDQ, um artista e visionário incrível que dá um toque especial ao fandom de Destiny.  

À medida que nos aproximamos do fim de semana mais uma vez, queremos dizer apenas que ver a empolgação de vocês com o futuro de Destiny após os nossos Destaques nos deixou muito felizes. Obrigada por participarem do universo do jogo. A Luz de vocês é mais intensa do que vocês imaginam. Enquanto isso, meus queridos Guardiões, lembrem-se de beber água, de realizar ações de autocuidado e de sempre darem o melhor de si. A gente se vê na próxima.  

 
<3 "É melhor eu ir", 
Hippy
Você não tem autorização para ver esse conteúdo.
preload icon
preload icon
preload icon